As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Um caso nojento de machismo

Aranha, acusado de estupro por Ferrer, o advogado dele, Gastão, o promotor, Oliveira, e o juiz, Rudson, são cúmplices de um absurdo caso judicial em que o acusado foi inocentado e a vítima, agredida

José Nêumanne

04 de novembro de 2020 | 20h14

Agressão machista injustificável de Gastão, advogado de empresário Aranha, acusado de estupro contou com cumplicidade de promotor Oliveira e do juiz Rudson, e todos devem ser punidos. Foto: Reprodução/Intercept Brasil

  A decisão da 3ª Vara Criminal de Florianópolis de inocentar o empresário André Aranha da denúncia de estupro da youtuber Mariana Ferrer, em 9 de setembro, repercutiu em 3 de novembro depois que o site The Intercept Brasil divulgou detalhes da sessão de audiência na qual advogado Cláudio Gastão insultou a vítima. Alegando que a relação foi consensual, o defensor do acusado exibiu fotos sensuais da jovem sem relação nenhuma com o fato julgado. E disse que a moça tem como “ganha-pão” a “desgraça dos outros”. E o juiz Marcos Rudson sequer o repreendeu. Ela implorou por  respeito. “Nem os acusados são tratados do jeito que estou sendo tratada,”, reclamou. O TJSC deu razão do magistrado e o MP defendeu o promotor Thiago Carriço de Oliveira, que não viu dolo no fato. Todos cúmplices de um nojento machismo

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

 

Para ouvir no Blog do Nêumanne, Estadão, Política, clique no link abaixo:

Assuntos para comentário de quarta-feira 4 de novembro de 2020

1 – Haisem – Jovem é atacada em julgamento sobre estupro – Este é título de chamada na primeira página da edição impressa do Estadão hoje. O que, em sua opinião, o julgamento do estupro da modelo Mariana Ferrer em Santa Catarina revela a respeito do Brasil real

2 – Carolina – Flávio Bolsonaro, Queiroz e mais 15 são denunciados por esquema de rachadinha – Este é título de chamada de capa do Portal do Estadão nesta quarta-feira. Por que, a seu ver, demorou tanto a sair o resultado do inquérito do Ministério Público do Rio de Janeiro sobre o primogênito do presidente Jair Bolsonaro e quais suas conseqüências no dia-a-dia da política nacional

3 – Haisem – Primo dos filhos de Bolsonaro ganha novo cargo no Senado – Este é título de reportagem da Sucursal do Estadão em Brasília. O que chama sua atenção nessa notícia de que Leo Índio, sobrinho da primeira mulher do presidente Jair Bolsonaro, pediu demissão do gabinete do ex-vice-líder do governo no Senado Chico Rodrigues, flagrado em casa com dinheiro na cueca pela Polícia Federal, e foi abrigado imediatamente em outro gabinete na Casa

4 – Carolina – Bolsonaro diz ver eleição como ‘laboratório’ de 2022 – Este é título de chamada de primeira página na edição impressa do jornal hoje.

Por que, em sua opinião, o presidente brasileiro insiste tanto em comentar a eleição de ontem para a presidência dos Estados Unidos

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.