Um banco só pra propina
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Um banco só pra propina

Amigos de Lula associam-se e compram banco no Caribe para gerir propinoduto

José Nêumanne

20 de junho de 2016 | 19h01

Odebrecht, caso de polícia

Odebrecht, caso de polícia

Depois de termos sido informados da existência de um departamento da Odebrecht exclusivamente dedicado a pagar propinas, ficamos sabendo que a empreiteira comprou um banco no Paraíso Fiscal para distribuir essas propinas, como revelou o delator premiado Vinicius Veiga Borin. O tal Meinl Bank da ilha de Antigua, paraíso fiscal do Caribe, teria movimentado US$ 1,6 bilhões, ou seja, mais de R$ 4 bilhões. Esse dinheiro todo poderia aliviar a situação decretada de calamidade pública do Rio de Janeiro, prestes de sediar a Olimpíada que tem tido para ser o maior mico de nossa História.

(Comentário no Direto da Redação 3 da Rádio Estadão – FM 92,9 – na segunda-feira 20 de junho de 2016, às 18 horas)

Clique no link abaixo e, aberto o site da emissora, duas vezes no play sob o anúncio em azul

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: