Toró revela mau gestor
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Toró revela mau gestor

Haddad, Doria e Covas não gastaram todas as verbas orçadas para combater cheias em São Paulo, mas atual prefeito apontou para a lorota de sempre de todos os outros: choveu demais e caos seria pior sem suas obras

José Nêumanne

11 de fevereiro de 2020 | 11h33

Rios só transbordam quando chove muito e quando obras de saneamento e prevenção contra cheias não são realizadas pela prefeitura. Foto: Werther Santana/Estadão

Sempre que desaba um temporal que esgota a cota de chuva do mês vem um mau gestor dizer que fez o que pôde para evitar a tragédia. Isso ocorre agora com Belo Horizonte, São Paulo e Rio. O neto de Covas não fugiu ao figurino: apareceu para falar em obras municipais, muitas das quais deixaram de ser feitas nas gestões de Haddad, do PT, Dória, do PSDB, e dele mesmo, idem, que nem sequer gastaram o dinheiro previsto no orçamento contra as cheias. As metrópoles têm muito a reclamar das chuvas que provocaram o caos, mas, de fato, elas vêm anualmente para desmascarar os péssimos políticos que as administram.

Assuntos dos comentários da terça 11 de fevereiro de 2020-02-11

1 – Haisem – Manchete do Estadão de ontem está extraordinariamente em letras capitais TEMPORAL FAZ SÃO PAULO VIVER DIA DE CAOS. Você, que mora há 49 anos na cidade, já viu coisa semelhante

2 – Carolina – Título de chamada na mesma primeira página – Prefeitura deixa de gastar R$ 2,7 bilhões em obras anticheia – entrega os últimos prefeitos no quesito planejamento contra enchentes. Mas o atual, Bruno Covas, do PSDB, disse o contrário, não foi

SONORA_COVAS 1102

3 – Haisem – Que opinião dos especialistas ouvidos pelo Estadão e pela Rádio Eldorado  a respeito do caos de ontem mais o satisfez

4 – Carolina – Também na primeira página Estadão noticiou: Defesa mantém sob sigilo dados de pensão de filha de militar. Quer dizer, então, que a Lei da Transparência não vale para quem veste farda, é

5 – Haisem – O que há de inovador na declaração do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, sobre a ação das polícias baiana e fluminense que culminou na morte do miliciano Adriano da Nóbrega

6 – Carolina – E o que acha de importante na informação da manchete do Estadão de hoje, segundo a qual Governo economiza R$ 68,9 bilhões em juros da dívida pública, que você não comentou por causa da prioridade dada à reportagem sobre o dia de caos na cidade

7 – Haisem – O que motiva, em sua opinião, o terceiro lugar alcançado pelo presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, numa pesquisa do Índice de Popularidade Digital (IPD), elaborado pela consultoria Quaest a pedido do Estado

8 – Carolina – Spoiler Qual é o assunto de seu artigo desta semana no Blog do Nêumanne do Portal do Estadão – A República treme à espera de quatro delações

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.