Toffoli vê Estado nos fogos contra STF

Presidente do STF viu mão do "Estado" nos mandantes dos milicianos armados que simularam bombardeio contra sua sede reproduzindo método usado por traficantes e milicianos em territórios sem lei

José Nêumanne

15 de junho de 2020 | 22h52

Toffoli, que na semana passada reclamou da “dubiedade” de seu amigo Bolsonaro, desta vez reclamou dos homens de Estado que podem estar atrás do foguetório contra STF. Foto: Nelson Jr./SCO/STF

O grupo “300 pelo Brasil”, que não chegam a 30, soltou fogos de artifício na direção do edifício principal do STF, na Praça dois Três Poderes, enquanto insultavam os ministros da “pretório excelso” para lhes mostrar e ao governo do Distrito Federal, cuja PM o havia desalojado de um acampamento no Plano Piloto de Brasília, berrando que nunca iria ‘arregar’. Gritavam, por exemplo: “Repararam que ângulo dos fogos está diferente da última vez? Se preparem, Supremo dos bandidos, aqui é o povo que manda. Tá entendendo o recado?”, ameaçou um manifestante em vídeo nas redes sociais. O presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, denunciou servidores do Estado a incentivarem tais agressões, que outro ministro, Alexandre de Moraes, disse serem “criminosas”. Atos devem ser chamados pelo nome: crime.

Para ouvir o comentário clique aqui e, em seguida, no play

 

Assuntos para comentário da segunda-feira 15 de junho de 2020:

 1 – Haisem – Toffoli diz que Supremo não se sujeitará a ameaças – Este é o título de uma chamada publicada no alto da primeira página da edição impressa do Estadão de hoje. Você acha que o presidente do Supremo Tribunal Federal tem razão de reagir assim ao foguetório contra a sede do Poder Judiciário na Praça dos Três Poderes na noite de sábado 13 de junho

 2 – Carolina – A demissão do subcomandante da Polícia Militar do Distrito Federal pelo governador Ibanêis Rocha por causa da agressão à sede do Supremo Tribunal Federal foi uma resposta à altura da autoridade distrital à audácia dos manifestantes de direita

 3 – Haisem – Gilmar e Aras reagem à ideia de invasão de hospitais – é o título de chamada ao lado da citada anteriormente na primeira página do Estadão de hoje. Você acha que esta reação do Estado basta ou esperava algo mais efetivo e contundente

 4 – Carolina – Segundo levantamento do Estadão na edição de ontem, um em cada quatro parlamentares envolvidos com corrupção na Justiça pertence ao Centrão. Como você definiria a opção do presidente Jair Bolsonaro pelo bloco informal de partidos que trata dessa forma o patrimônio público

 5 – Haisem – Secretário do Tesouro sai e equipe de Guedes tem primeira grande perda – esta é a manchete da edição impressa do Estadão de hoje. Que conseqüência terá essa defecção na gestão da recessão econômica produzida pela pandemia da covid-19

 6 – Carolina – Seis pessoas morrem em casa por dia – Este é o título de uma chamada da mesma primeira página. Como você reage a esta tragédia doméstica que retrata de forma tão terrível o cotidiano em São Paulo no enfrentamento da guerra da sociedade brasileira contra o novo coronavírus

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.