Toffoli recua e não explica
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Toffoli recua e não explica

Sem nunca ter explicado as razões de seu tresloucado gesto de requisitar sigilos bancários de 600 mil pagadores de impostos, presidente do STF reincide ao recuar sem nunca se justificar

José Nêumanne

19 de novembro de 2019 | 13h14

Dias Toffoli, reunido em seu gabinete com Augusto Aras, André Mendonça e Campos Neto, tratam do escândalo de sua reincidência ao recuar. Foto: Gabriela Biló/Estadão

Em nova prova de falta de espírito público e caráter, o presidente do STF, Dias Toffoli, devolveu os arquivos encaminhados pelo Banco Central quebrando sigilos de 600 mil pessoas naturais e jurídicas, que ele requisitou. Mas, da mesma forma como não deu explicações razoáveis para exigir, também não explicou por que recuou. Isso pode significar alívio para brasileiros que, sem razão nenhuma, passaram a temer consequências funestas da xeretice suprema, mas em nada atenua a gravidade do escândalo. Ao contrário, a dobra. O estilo truculento e nada transparente do mais poderoso manifesta-se pela sem-cerimônia e pela arrogância nos dois casos.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

 

Assuntos para comentário da terça-feira 19 de novembro de 2019:

 

1 – Haisem  – Toffoli revoga decisão sobre dados sigilosos – diz título do Estadão na primeira página. O que você acha que levou o presidente do Supremo Tribunal Federal a recuar no caso polêmico da invasão de sigilos bancários de 600 mil pessoas físicas e jurídicas

 

2 – Carolina – O que, a seu ver, poderá ter levado o presidente Jair Bolsonaro a determinar silêncio a respeito das acusações públicas que Lula está fazendo a seu respeito e do ministro da Justiça, Sergio Moro

 

3 – Haisem – Que assunto você abordou no artigo semanal que publicou ontem, à noite, no Blog do Nêumanne no Portal do Estadão

 

4 – Carolina – Desmate da Amazônia sobe 29,5%, maior taxa desde 2008 – revela manchete de primeira página do Estadão de hoje. O que dizer dessa tragédia ecológica a esta altura do campeonato

SONORA_SALLES 1911

 

5 – Haisem – O que ainda há a comentar sobre novo recorde batido por propinodutos no Brasil, agora da Fetranspor no Rio de Janeiro: em dez anos mais de 120 milhões a políticos do Rio

 

6 – Carolina – Que tal a notícia dada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, de que o governo deve encerrar 2019 com um rombo nas contas públicas inferior a 80 bilhões de reais, sendo que a meta, anteriormente, admitia resultado negativo de até 139 bilhões neste ano:

SONORA_GUEDES 1911

 

7 – Haisem – Em que você acha que pode dar o inquérito que o relator da Lava Jato no Supremo Tribunal, ministro Edson Fachin, mandou abrir para apurar se Eduardo Cunha comprou votos para a eleição para a presidência da Câmara dos Deputados

 

8 – Carolina – Doria atua para unir Covas e Joice na eleição municipal – diz título de notícia na primeira página do Portal do Estadão agora. Você acha que a hipótese pode prosperar

 

Tendências: