Toffoli no propinoduto da Odebrecht
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Toffoli no propinoduto da Odebrecht

Presidente do STF ainda não explicou acusação de Marcelo de que era o "amigo do amigo do meu pai" no propinoduto da Odebrecht, 35 mesadas que teria recebido da mulher e citação desaparecida de Léo

José Nêumanne

12 de abril de 2019 | 11h14

Alguém tem ideia do que fazia Toffoli acompanhando Bolsonaro no encontro com pastores promovido por Malafaia? Foto: Mauro Pimentel/AFP

Marcelo Odebrecht, em prisão domiciliar no Morumbi, contou à Polícia Federal que o “amigo do amigo do meu pai”, uma espécie de codinome com contrassobrenome, tem identidade e endereço reais e bem conhecidos da Polícia Federal: é José Antônio Dilas Toffoli, presidente do STF. Ao fazê-lo, conforme revelou Crusoé de O Antagonista, o empreiteiro/corrupteiro esclareceu e-mail que passou para dois executivos sobre tratativas para liberar hidrelétricas no Rio Madeira em 2007, época em que o nobre ministro era advogado-geral da União no primeiro governo Lula. Sua Excelência coleciona explicações a dar: as 35 mil mesadas que recebeu da mulher advogada, até para compartilhar com a ex-mulher, e a citação que emperrou a delação premiada do executivo da OAS. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver o vídeo no YouTube clique aqui