Toffoli expôs STF ao ridículo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Toffoli expôs STF ao ridículo

Derrota do presidente do STF na sessão plenária marcada com 4 meses de atraso foi tão vexaminosa que ele mesmo terminou votando contra o próprio relatório

José Nêumanne

01 de dezembro de 2019 | 15h33

Plenário do STF esperou 4 meses para decidir sobre liminar infame que ele concedeu a filho de Bolsonaro, mas, quando fez, lhe impôs derrota humilhante por 9 a 2. Foto: Nelson Jr/STF

Ao deixar para pautar sessão do plenário em que decidiria sobre sua absurda decisão monocrática que suspendeu por 4 meses investigações de rotina de crimes financeiros, o presidente do STF expôs a si mesmo e a seus colegas, ao maior ridículo de sua história, já nada gloriosa. Seu relatório foi derrotado por 3 a 8, mas deixou os 2 que votaram com ele – Marco Aurélio e Celso – isolados na pior posição; abandonando-os e mudando o voto, o que fixou o resultado em 2 a 9 para não ser sumariamente retirado da relatoria. Mas nenhum dos 10 têm moral para nada, pois passou da hora de eles mesmos expulsarem o motivo de galhofa de sua indesejável companhia, antes que todos respondam pelas suas sandices. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará. 

Tudo o que sabemos sobre:

José Nêumanne PintoVídeo no YoutubeSTF

Tendências: