Todos juntos por si mesmos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Todos juntos por si mesmos

Quando se trata de proteger pares ou irmãos de opa, 11 ministros do STF esquecem divergências, como no arquivamento de ofício por Barroso do inquérito sobre Favreto atropelando a lei para soltar Lula

José Nêumanne

11 de abril de 2019 | 07h00

Inquérito sobre Favreto por soltar Lula em julho desconhecendo decisões anteriores de colegas foi arquivado por Barroso. Foto: Sylvio Sirangelo/TRF4

Há uma lenda urbana segundo a qual o STF tem dois lados: o mau de Toffoli, Lewandowski, Gilmar, Marco Aurélio e Celso e o bom de Cármen, Fachin, Fux, Barroso e Alexandre, com Rosa no centro. Nunca caí nessa. Quando se trata de se blindarem a si mesmos e, por extensão, a colegas da cúpula do Judiciário, todos se unem contra os rigores da lei. Isso explica o arquivamento “de ofício” determinado pelo citado Barroso do inquérito que investigava o desembargador Favreto, que tentou soltar Lula contrariando decisões colegiadas. Mas a procuradora-geral Dodge recorreu. Ainda bem. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no Portal do Estadão desde 6 horas da quinta-feira 11 de abril de 2019.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no player