Tiros na democracia

Tiros na democracia

Enquanto polícia do Paraná for incapaz de apontar verdadeiros autores de atentados contra ônibus da caravana de Lula e acampamento de lulistas no Estado, impunidade e versões causarão danos inaceitáveis à democracia

José Nêumanne

30 de abril de 2018 | 14h34

Polícia incompetente do Paraná é cúmplice de oportunistas de esquerda e de direita em atentados contra lulistas. Foto: Ernani Ogata/Código 19/

No governo do tucano Beto Richa ônibus da caravana de Lula foi baleado em Francisco Beltrão, no interior do Paraná, e até hoje o autor dos tiros não foi identificado nem processado. Agora, sob Cida Borghetti, a polícia do Estado mostra-se uma vez mais incapaz ao não ser capaz de informar quem atirou no acampamento de apoiadores de Lula em Curitiba. Prosperam versões diferentes e oportunistas dos dois atentados, que são caracterizados como ofensas inaceitáveis ao Estado de Direito – uma da direita que atribui a autoria aos próprios lulistas em busca de mártires e outra da esquerda que acusa a direita assanhada com o sucesso nas pesquisas de seu candidato Bolsonaro da iniciativa. Ambas são respaldadas pela incompetência da polícia do Paraná. Este foi meu comentário no Podcast Estadão Notícias, no ar desde as 6 horas da segunda-feira 30 de abril de 2018.

Para ouvir clique aqui

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.