Terça-feira de cinzas
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Terça-feira de cinzas

Este ano Temer teve uma segunda quarta-feira de cinzas, a terça 20, último dia do outono

José Nêumanne

21 de junho de 2017 | 12h31

No Kremlin Temer vendeu a Putin vantagem que não leva aqui Foto: Sergei Chirikov/Pool Photo via AP)

Dois pontos comuns nos comentários políticos do Podcast Comentaristas do Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107,3 – na quarta-feira 21 de junho de 2017 foram o depoimento do contador Lúcio Bolonha Funaro contando como o presidente Michel Temer teria aceito propina de 20 milhões de reais da Odebrecht Internacional em operações do Fundo de Investimento do FGTS, ou seja, dinheiro suado do trabalhador agora atingido pelo desemprego e o dia de irresponsabilidade total no Congresso. Alexandre Garcia e eu tratamos desse assunto. Foi uma nova quarta-feira de cinzas antecipada para terça para o inquilino do Palácio do Jaburu. No meu Direto ao Assunto eu também comentei o relatório duro da Polícia Federal sobre as denúncias de Joesley Batista contra o presidente em entrevista à revista Época, e o tratamento especial dado pela Primeira Turma do STF à família Neves de Minas Gerais. E Alexandre referiu-se ao debate que ficou para ser travado nesta quarta, aí, quarta mesmo, sobre a manutenção, ou não, dos favorecimentos desproporcionais dados pelo MPF e pela PF, com anuência de Fachin, aos açougueiros delatores. Sônia Racy noticiou que o Ministério da Transparência vai reavaliar o programa Bolsa-Familia. E Marília Ruiz resenhou a novela entre Lugano e o tricolor do Morumbi.

Para ouvi-lo clique aqui