Temer, também multirréu
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Temer, também multirréu

Ao tornar ex-presidente Temer réu, Justiça Federal de Brasília mostra que operações como Lava Jato ajudam a corrigir impunidade de que gozavam poderosos antes de elas entrarem em ação

José Nêumanne

30 de abril de 2019 | 11h51

Temer já foi preso e solto por benemerência de instâncias superiores, mas não deverá ficar muito tempo nessa condição. Foto: Fábio Motta/Estadão

Ao se tornar réu na Justiça de Brasília, o ex-presidente Michel Temer, do MDB, torna-se prova viva da lerdeza da Justiça brasileira e também, ao mesmo tempo, evidência clara da eficiência da geração de jovens policiais, procuradores e juízes federais que empreenderam operações como Lava Jato e outras congêneres. Afinal, sabia-se desde, pelo menos, os anos 90 do século passado, de seus “rolos” com a gestão do Porto de Santos, já então com a assessoria de pau para toda obra de seu amigo coronel PM reformado João Batista Lima Filho, jocosamente alcunhado pela turma da fuzarca de Laranja Lima, que resume suas atividades profissionais. Introduzido na gang do PT, tornou-se multirréu como Lula.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

Assuntos para comentário da terça 30 de abril de 2019

1 – Haisem – O ex-presidente Michel Temer, seu fac totum coronel Lima e o ex-assessor Rocha Loures agora são réus. Em que essa notícia muda a História do Brasil contemporâneo

2 – Carolina – Bolsonaro faz bem ou mal ao pedir que seja isentado de punição produtor rural que atirar em invasor, como o fez ontem

SONORA BOLSONARO 3004 A

3 – Haisem – O que levou o general Rêgo Barros, porta-voz da Presidência da República, a declarar em seu briefing que o presidente Brolsonaro não intervirá em juros de bancos públicos

SONORA PORTA VOZ 3004

4 – Carolina – Que autoridade o vereador do Rio Carlos Bolsonaro tem para dar palpite sobre comunicação do governo de seu pai, Jair

5 – Haisem – Que consequências práticas terá a ação da Polícia Federal ontem no Diretório do PSL em Minas, que era dirigido pelo ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, investigando laranjas usadas para usar recursos do Fundo Partidário de forma ilícita

6 – Carolina – Que efeito poderá sofrer a composição do ministério do governo Bolsonaro com a divulgação de que a gráfica do irmão do assessor do ministro do Turismo, que foi paga por serviços prestados ao PSL, não funcionava dois anos antes do pagamento

7 – Haisem – Por que parlamentares estão pressionando para tirar Coaf do Ministério da Justiça e passar para Ministério da Fazenda

8 – Carolina – O que você achou da atitude dos alunos da Universidade de Lisboa, uma tradicionalíssima instituição de ensino superior, terem oferecido pedras para os colegas jogarem nos colegas brasileiros

 

Tendências: