Telegangues em ação

Telegangues em ação

Debate da Lei Geral das Telecomunicações é oportunidade de cobrar o que Anatel não quer revelar

José Nêumanne

16 de fevereiro de 2017 | 11h14

Alô, Anatel, responde, responde com toda sinceridade...

Alô, alô, oi, Anatel, responde, responde com toda sinceridade…

Questões para Juarez Quadros, presidente da Anatel, sobre projeto da Lei Geral das Telecomunicações: O que motiva a pressa e tentar impedir o debate público que deve haver sobre assunto de tal relevância, evitando a votação no plenário do Senado da LGT? Que argumento foi tão forte para fazê-lo ter hoje posição divergente, ou no mínimo bem diferente, da que expressou para Consuelo Diegues na reportagem da Piauí sobre a guerra das teles? O que justifica perdoar dívidas de R$ 20 bilhões da Oi com a Anatel, se elas evidenciam maus serviços aos clientes, por cujos interesses a agência deveria zelar? Por que a Anatel não sugere ao governo e ao Senado leiloar as concessionárias inviáveis?

(Comentário no Direto ao Assunto 3 da Rádio Estadão – FM 92,9 – na quinta-feira 16 de fevereiro de 2017, às 7h44m)

Para ouvir clique aqui e, aberto o site da Estação Nêumanne, no ícone do play

 

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.