TCU suspeita de corrupção na Covaxin

Benjamin Zymler, do Tribunal de Contas da União, quer saber por que preço da dose da vacina indiana Covaxin, oferecida por US$ 10, foi vendida por US$ 15, dando prejuízo de %$ 534 milhões ao erário

José Nêumanne

06 de julho de 2021 | 19h44

Na linha de defesa das instituições, ao lado de Ana Arraes, Bruno Dantas e Vital do Rego, o ministro Benjamin Zymler, cobrou explicações do Ministério da Saúde sobre compra suspeita da Covaxin. Foto: Beto Barata/Estadão

O Tribunal de Contas da União reforçou o cerco ao desgoverno Bolsonaro cobrando do Ministério da Saúde explicações sobre a compra da vacina indiana Covaxin, alvo de investigações por suspeitas de corrupção. A Corte quer saber por que o preço do imunizante passou de US$ 10 para US$15 a dose após o início das negociações, como o Estadão informou no sábado. O ministro Benjamin Zymler alertou que não atender a solicitações do TCU sem justificativa é “irregularidade grave”, com possibilidade de multa ao responsável por sonegar os dados. Além da Corte de contas, a compra da Covaxin é investigada pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, no Senado, pela Controladoria-Geral da União (CGU) e criminalmente pelo Ministério Público Federal e pela Polícia Federal. A batata está no fogo.

 
Assuntos para comentário na terça-feira 6 de julho de 2021

1 – Tribunal de Contas da União cobra do governo sobrepreço da Covaxin – Este é o título de uma chamada no alto da primeira página da edição impressa do Estadão deste 6 de julho de 2021. O que, a seu ver, motivou o TCU a fazer essa cobrança

2 – Senador quer CPI para apurar rachadinha – Este é o título de uma chamada na primeira página do jornal desta terça-feira. Que motivos encontrou o senador Alessandro Vieira para sugerir comissão parlamentar de inquérito a respeito da prática da extorsão de funcionários-fantasmas em seu gabinete por Jair Bolsonaro

3 – A hora de deter Bolsonaro é já – Este é o título de seu artigo editado desde ontem no Blog do Nêumanne no Portal do Estadão. Por que você apela a essa pressa toda para que o impeachment de Jair Bolsonaro seja votado imediatamente

4 – Isenção a “super-ricos” no Imposto de Renda é de 60%; demais contribuintes têm 25% – Esta é a manchete do jornal de hoje. O que motiva tanta generosidade tributária para dispensar justamente os mais ricos de serem tributados como deveriam

5 – Dimas Covas descarta dose de reforço este ano – Este é mais um título de chamada na primeira página do Estadão do dia. O que tornou necessário levar o diretor do Instituto Butantan a dar essa informação

6 – Inglaterra prevê fim do uso de máscaras e volta a aglomerações – Este é outro título de chamada de primeira página do jornal que está circulando. Por que nossos Estados e municípios ainda prevêem restrições à circulação, enquanto países do primeiro mundo as começam a dispensar

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.