Tardou, mas não falta mais

Tardou, mas não falta mais

Afinal, Temer parece ter entendido que política podre comprometerá economia em recuperação

José Nêumanne

13 de fevereiro de 2017 | 19h55

 

FOTODELDÍA BRA100. BRASILIA (BRASIL), 13/02/2017.- El presidente Michel Temer habla con los medios hoy, lunes 13 de febrero de 2017, en la Casa Presidencial, en Brasilia (Brasil), donde reiteró que cualquier Ministro del Gobierno que sea acusado de corrupción será destituido. Temer agregó que las Fuerzas Armadas están

Temer, afinal, se compromete a eliminar o cancro de sua banda política: Foto Joédson Alves/EFE

A lição de prudência e firmeza ministrada pelo editorial do Estadão domingo pode não ter inspirado Temer a adotar sua resolução louvável de afastar ministros indiciados e tornados réus na Lava Jato, mas é coerente com o ato presidencial, que chega em boa hora, na qual o governo precisa juntar sua banda sã da economia com a banda política, que é suspeita de ter partes bem apodrecidas. A fórmula adotada de afastar temporariamente ministro denunciado e definitivamente ministro que virar réu é a mais adequada, embora tendo tardado, sem, contudo, ser tardia. O exemplo de Hargreaves, homem de confiança afastado por Itamar, outro vice que assumiu a presidência, pode e deve ser imitado a qualquer hora.

(Comentário na Pauta do Dia da Rádio Estadão – FM 92,9 – na segunda-feira 13 de fevereiro de 2017, às 18h15m)

Para ouvir clique aqui e, aberto o site da emissora, 2 vezes no play do anuncio em azul

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.