Suspeitos truculentos

Suspeitos truculentos

MPF reclama de Toffoli que soltou Bernardo de forma autocrática sem ouvir ninguém

José Nêumanne

30 de junho de 2016 | 09h38

 

Toffoli não ouviu ninguém para soltar petista

Toffoli não ouviu ninguém para soltar petista

Sob as bênçãos de Dias Toffoli, que mandou soltá-lo sem ouvir Ministério Público nem esperar decisão do Tribunal Regional Federal 3 de São Paulo, Paulo Bernardo, duas vezes ex-ministro em governos do PT e marido da senadora Gleisi Hoffmann, que foi chefe da Casa Civil de Dilma, acusado de ter recebido propina forçada de servidores, aprendeu rápido nos seis dias de cadeia: saiu se dizendo inocente, refrão de todos os condenados que cumprem pena no mundo. MPF não se conformou, juiz que mandou prender discordou, mas a mulher comemorou e aproveitou para mandar advogada  calar-se no Senado.

(Comentário no Direto da Redação da Rádio Estadão – FM 92,9 – na quinta-feira 30 de junho de 2016, às 7h15M)

Para ouvir clique no link abaixo e, aberto o site da emissora, no play sobre o anúncio em azul

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.