Sua Suprema majestade
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sua Suprema majestade

Após lua de mel com população no mensalão, ministros do STF, depois do petrolão, preferem manter-se fora do alcance do protesto dos cidadãos comuns e têm direito a acesso privilegiado a aviões de carreira

José Nêumanne

08 Junho 2018 | 15h11

Gilmar e Cármen em sessão do STF em 2010: os dois discordam, mas gozam do mesmo privilégio da distância do povo. Foto: Wilson Pedrosa/AE

Compreende-se que ministros do Supremo Tribunal Federal como Gilmar Mendes e alguns colegas não vote. como quer o cidadão que lhes paga os mais altos salários do serviço público. Eles não estão lá para agradar a ninguém, mas para cumprir a Constituição. Mas não aceitar nenhum contato com a realidade do País em que seus votos interferem é demais. Pois justamente na gestão de Cármen Lúcia, que não reza na cartilha dos chamados garantistas, mas também nunca os contraria, a instituição contratou um espaço no aeroporto de Brasília para garantir que eles não façam check in nos balcões como cidadãos comuns e entrem nos aviões antes dos plebeus, privilégio que é concedido a Sua Majestade a Rainha da Inglaterra. É o que pensam que são. Este é meu comentário no Estadão Notícias no Portal do Estadão desde as 6 horas da sexta-feira 8 de junho de 2018.

Para ouvir clique aqui