STF vira circo sob Toffoli

STF vira circo sob Toffoli

Presidente da Corte começou seu voto sobre compartilhamento de inteligência financeira com órgãos jurídicos emulando O Grande Irmão, de Orwell, e o concluiu como se estivesse participando de um torneio de piadas sujas num boteco mal frequentado

José Nêumanne

21 de novembro de 2019 | 18h05

 

STF vive dias conturbados na presidência de Toffoli, cujas decisões monocráticas não conseguem disfarçar suas ambições de poder absoluto sem vigilância nenhuma. Foto: Dida Sampaio/Estadão

No plenário de STF, o presidente Dias Toffolii disseque sua liminar impedindo Flávio Bolsonaro e Fabrício Queiroz de serem investigados pelo MP do Rio nada tem a ver com o julgamento do compartilhamento de informações do Coaf vulgo UIF. É mentira. Mente quando diz que essa interdição não interrompeu nenhuma investigação. Foram interrompidas 935. E, ao não ouvir o brilhante memorial com que o procurador-geral da República, Augusto Aras, abriu a sessão, perdeu a chance de ficar sabendo que sua decisão estúpida está tirando o Brasil do primeiro mundo no combate à corrupção. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará. 

Tudo o que sabemos sobre:

José Nêumanne PintoVídeo no YoutubeSTF

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.