STF sabota Moro

STF sabota Moro

Não dá para entender por que três ministros de um colegiado de 11 resolvem melar a ação da Lava Jato que pode condenar Lula a mais uma pena a cumprir na cadeia considerando suas ambições acima da instituição

José Nêumanne

25 de abril de 2018 | 18h21

O Brasil conta com empenho de Raquel Dodge para levar decisão espúria da 2.ª turma ao plenário do STF. Foto: Wilton Jr./Estadão

O noticiário variado e demolidor do dia traz algumas perguntas de respostas difíceis. Qual foi o motivo de os ministros do STF terem mudado de opinião e decidirem tirar de Moro as delações da Odebrecht sobre propinas pagas a Lula? A desfaçatez do investigado Temer reunir-se com seu julgador Gilmar vai continuar sem punição? Por que o STF não decide de uma vez se a absurda delação arrancada pela PGR, com anuência do relator Fachin, de Joesley continua valendo, ou não, e, apesar desse suspense, o marchante bandido continua solto? Por que a menor rejeição dos presidenciáveis é de Lula, que está preso e, se a Lei da Ficha Limpa continuar valendo, não poderá ser candidato? Apresentei estas questões e outras mais no papo com Emanuel Bomfim, que ancorou o programa Estadão às 5, transmitido do estúdio da TV Estadão no meio da redação do jornal e retransmitido por Youtube, Twitter, Periscope Estadão e Facebook na quarta-feira 25 de abril de 2018, às 18 horas.

Para ver o vídeo clique aqui

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.