STF livra PT e Bolsonaro de Moro

Acordão que congrega confraria de presidente, petista e Centrão pode ganhar acento agudo e virar acórdão do STF que, inspirado por Gilmar, Toffoli e Lewandowski condena ex-juiz e desrói legado da Lava Jato

José Nêumanne

24 de março de 2021 | 19h44

Após acompanhar integralmente votos do relator Fachin a favor da Lava Jato, Cármen mudou decidiu pelo avesso dando maioria à suspeição de Moro, inspirada em ódio expresso por Gilmar. Foto: Gabriela Biló/Estadão

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu na terça-feira 23 de março que o ex-juiz federal Sérgio Moro foi parcial ao condenar o ex-presidente Lula na ação do triplex do Guarujá. O placar sofreu uma reviravolta com a mudança na posição da ministra Cármen Lúcia, que alterou o voto proferido em dezembro de 2018. Com esse entendimento, o caso voltará à estaca zero. A ministra tentou restringir o entendimento à questão específica de Lula na ação do triplex, tentando delimitar os efeitos do julgamento. Fachin, Cármen e Gilmar protagonizam o maior caso de amnésia coletiva da História da humanidade. Todos se esqueceram das decisões tomadas em relação à Lava Jato, inclusive deles próprios, incluindo Fachin, cuja decisão monocrática higienizou a ficha suja de Lula e tornou viável sua candidatura.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

Comentários na quarta-feira 24 de março de 2021

1 – Haisem – Cármen muda voto e Supremo Tribunal Federal julga Moro parcial em caso de Lula – Esta foi a manchete de primeira página na edição impressa do Estadão hoje. Quais foram, a seu ver, as principais motivações e conseqüências da decisão de ontem da Segunda Turma do STF

2 – Carolina – Marco Aurélio mantém toque de recolher de governadores – Este é o título de uma chamada no alto da primeira página do jornal. Qual foi o recado que o decano do Supremo Tribunal Federal mandou para o presidente da República com sua decisão firme e já esperada

4 – Haisem – Pela primeira vez, País supera os três mil mortos em 24 horas – Este é outro título de destaque na dobra de cima da capa do Estadão de hoje. Que novos recordes macabros nosso aflito e desgovernado Brasil ainda nos reserva numa pandemia que não parece ter ápice nem fim

4 – Carolina  – O alívio de quem já recebeu a sua dose de vacina – Este é o título do texto- legenda da foto do narrador Alexandre Santos, de 82 anos, e sua mulher pelo repórter fotográfico Tiago Queiroz na primeira página do jornal, ilustrando o momento de felicidade da imunização ainda lenta, mas já carregada de esperança, de dez milhões de brasileiros imunizados. Qual foi a sensação provocada pelo registro fotográfico de tanta felicidade em meio à imensa dor coletiva

5 – Haisem – O que havia de verdade e de mentira no pronunciamento em cadeia de rádio e televisão ontem no horário nobre por Jair Bolsonaro

6 – Carolina – Viajante do Brasil pagará para ficar isolado no Chile – Este é o título de mais uma chamada de primeira página do Estadão desta quarta-feira. O que o cidadão brasileiro comum fez de errado para merecer esse tratamento diferenciado num país vizinho e amigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.