STF a serviço de advogados ricos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

STF a serviço de advogados ricos

Não há inocentes clamando contra erros judiciais nas últimas instâncias do Judiciário que justifiquem sua liberdade, na verdade pregada por advogados de culpados milionários que têm acesso ao alto preço delas

José Nêumanne

17 de outubro de 2019 | 18h11

 

Advogados pagam caro pela liberdade de seus clientes milionários, mas não há entre eles inocentes injustiçados pelo sistema penal das primeiras instâncias. Foto: Gabriela Biló/Estadão

Nos últimos dez anos, o STF tem tentado mudar a jurisprudência que autoriza juiz a mandar condenado em segunda instância a começar a cumprir pena. A banda que se diz “garantista” dos direitos individuais à plena defesa ganhou a parada em 2009 e perdeu três vezes em 2016. Gilmar Mendes, que defendia com ardor a opção vencedora mudou de posição para o lado oposto.Foi  desde que a Operação Lava Jato começou a investigar propinas pagas aos tucanos, sob cujo domínio fez carreira no palácio. Posam de defensores da liberdade, mas na verdade não há inocente nenhum a ser beneficiado pela benemerência deles. Como confirmam estatísticas do CNJ, só 0,006% dos processos que sobem do STJ para a última instância têm seus termos corrigidos. Nenhum por inocência do réu, mas só por erros processuais. Ou seja, os ministros prestam serviços a advogados ricos de criminosos milionários do colarinho-branco. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Tendências: