Sozinho na cabine

Sozinho na cabine

Americano votou em Trump para chutar o balde das conveniências políticas e sociais

José Nêumanne

09 de novembro de 2016 | 11h07

Trump mandou o politicamente correto às favas e venceu

Trump mandou o politicamente correto às favas e venceu Hilary

Na eleição presidencial americana, Donald Trump não derrotou apenas as notórias deficiências da adversária, Hilary Clinton, os republicanos, os ex-presidentes Clinton, Obama e Bush (que votou em branco) e os democratas em geral, mas também o primado do politicamente correto. E o fez de forma avassaladora porque a cabine eleitoral indevassável é o único espaço que resta ao cidadão para desafiar o que lhe impõem cônjuge, amigos de bar, o chefe no trabalho e a opinião pública em geral. O diretor do FBI, republicano, influiu no resultado final, mas o grande aliado do vencedor foi mesmo o desabafo do americano comum contra a globalização da economia e os novos cânones de comportamento.

(Comentário no Estadão no Ar da Rádio Estadão – FM 92,9 – na quarta-feira 9 de novembro de 2016, às 7h15m)

Para ouvir clique aqui e, aberto o site da emissora, 2 vezes no play sob o anúncio em azul

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.