Situação da covid é “apavorante”, diz gestor

Com número de casos e óbitos por covid em crescimento e ocupação de UTIs da rede pública ultrapassando 90%, Bolsonaro diz que vivemos "finalzinho da pandemia" e que economia vai bem

José Nêumanne

11 de dezembro de 2020 | 19h52

Segundo pesquisa de associação do setor, 65% dos hospitais privados na Grande São Pauloestão mantendo procedimentos eletivos, incluindo cirurgias Foto: Nilton Fukuda/Estadão

Neste momento em que 20 unidades da Federação estão numa situação da Covid-19 pior do que há quatro semanas e a com a ocupação de leitos de UTI do Sistema Único de Saúde (SUS) acima de 90%, o presidente Jair Bolsonaro ignorou dados e afirmou ontem que o Brasil vive “um finalzinho de pandemia”. Essa afirmação absurda e desumana  não é corroborada pelos números. Eliane Cantanhede escreveu no Estadão o artigo intitulado Finalzinho da pandemia. E resumiu na linha fina: “São absurdos demais, provocações demais… Alguma Bolsonaro está aprontando.” O ex´curador da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, Antônio Penteado Mendonça descreveu a situação do atendimento em hospitais públicoa e privados em entrevista à Rádio Eldorado como “apavorante”. E não há exagero na palavra.

 

Assuntos para comentário na sexta-feira 11 de dezembro de 2020:

1 – O que você tem a dizer sobre a última declaração do presidente da República, Jair Bolsonaro, sobre a hipótese por ele mais uma vez levantada de que o País está no que ele chama agora de “finalzinho da pandemia”. Isso é ilusão de fim de ano, é previsão que se faça agora

SONORA Bolsonaro finalzinho

2 – Saúde prevê gastar 250 milhões de reais com kit covid – Esta é a manchete da edição impressa do Estadão de hoje. Você acha que já dá para os brasileiros terem a esperança de que, depois de 180 mil mortos por dia, o governo federal passará a encarar a pandemia como deve

3 – Estado de São Paulo terá novas restrições – Este é o título de uma chamada de primeira página do jornal de hoje. A esta altura do isolamento social, o cidadão comum ainda terá disposição para continuar o cumprindo ou o governo do Estado terá de reforçar a fiscalização para garanti-lo

4 – Butantã começa a produzir a Coronavac – Este é outro título de chamada de primeira página do Estadão de hoje. Que efeito esta notícia promissora exercerá sobre os outros Estados e, principalmente, no governo federal, chefiado por um negacionista impenitente

5 – Gabinete no Planalto vira “comitê” de eleição de Lira – Este é o título de uma notícia no alto da primeira página do jornal de hoje. A seu ver, até que ponto esta constatação fere o princípio do equilíbrio e autonomia dos poderes

6, Depois de nove meses parado na Justiça Federal de São Paulo, o inquérito que investiga os pagamentos de 132 milhões de reais feitos pelo grupo Oi/Telemar a empresas ligadas a Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha (foto), será enviado para o Rio de Janeiro, onde fica a sede da gigante de telefonia. Quando é que vai acabar esse vaivém da impunidade

É o Brasil, né?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.