Sindicatos de ladrões

Sindicatos de ladrões

Para PGR, quadrilhas criminosas atuam no Ministério do Trabalho para registrar miríade de sindicatos, que sustentam, em nomes de trabalhadores, partidos e famílias de políticos sem escrúpulos e totalmente impunes

José Nêumanne

28 de agosto de 2018 | 06h41

Dono do PTB, Jefferson, e a filha, Cristiane, estão entre acusados por Dodge de liderarem quadrilha dos registros sindicais. Foto: Antonio Augusto/Câmara dos Deputados

O escândalo do número absurdo de sindicatos em funcionamento no Brasil, a liberdade com que seus dirigentes manipulam recursos obtidos de impostos ou da cobrança dos sindicalizados e o uso político e pessoal de vantagens e do erário por partidos e famílias de políticos chegaram ao paroxismo com a denúncia da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, de que funciona uma organização criminosa no Ministério do Trabalho para tirar vantagem de tudo isso. A notícia explica por que o delator do mensalão, Roberto Jefferson, dono do PTB, chorou e esperneou para manter a nomeação da filha, deputada Cristiane Brasil, ministra e a reação que impediu o despautério. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no ar desde 6 horas da terça-feira 28 de agosto de 2018.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.