Sim ao fim da reeleição

Sim ao fim da reeleição

Bolsonaro faz bem ao garantir que vai acabar com instituto de reeleição, que, em vez de atender a propósito inicial de dar ao povo poder para reeleger bom gestor, deu mais poder às castas partidárias

José Nêumanne

22 de outubro de 2018 | 07h11

Contrariando quem lhe atribui “ideias golpistas”, Bolsonaro propôs acabar com reeleição, herança de Fernando Henrique. Foto: Wilton Júnior/Estadão

Ao informar que pretende acabar com o instituto da reeleição, caso vença a eleição presidencial domingo que vem, o candidato favorito, Jair Bolsonaro, tocou, afinal, nesta campanha num ponto nevrálgico das crises políticas que têm assolado a democracia brasileira nos últimos anos. Faço aqui publicamente meu mea culpa por tê-lo defendido à época em que foi introduzido na ordem institucional brasileira por iniciativa do ex-presidente tucano Fernando Henrique. A época, achei que o efeito seria contrário ao que eu de fato ocorreu, pois, em vez de permitir ao povo que pudesse manter no poder um agente público que fosse bem sucedido na gestão, terminou dando mais poder aos políticos. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no Portal do Estadão desde as 6 horas da segunda-feira 22 de outubro de 2018.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no player

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.