Será que existe uma Abin do B?

Ao exigir explicações do ministro-chefe do GSI e do presidente da Abin, ministra do STF Cármen Lúcia considerou "grave" relatório à defesa de Flávio, pois informes da agência devem ser de interesse público

José Nêumanne

15 de dezembro de 2020 | 21h18

Ao dar prazo de 24 horas para Heleno e Ramagem explicarem eventual relatório da inteligência para facilitar a defesa do primogênito do presidente, ministra do STF Cármen Lúcia disse que a denúncia é “muito grave”. Foto: Gabriela Biló/Estadão

A revista Época informou que um servidor citado pelo relatório atribuído à Abin foi exonerado ‘a pedido’ há duas semanas e outras duas sugestões foram seguidas pela defesa: apresentação de um pedido de Lei de Acesso à Informação para colher provas de que o perfil de Flávio foi acessado indevidamente pela Receita e a apresentação de uma notícia-crime na Procuradoria-Geral da República. Em despacho, a ministra do STF Cármen Lúcia afirmou que o caso ‘é grave’ e aponta para descumprimento de decisão da Corte, que firmou entendimento de que a Abin só pode fornecer dados quando comprovado o interesse público da medida e sob controle do Judiciário, ficando vedado o repasse de informações de inteligência com objetivo de atender interesses pessoais ou privados. Urgem providências dos omissos pais da  pátria.

Para ouvir comentário clique no link abaixo e, em seguida, no play:

https://soundcloud.com/jose-neumanne-pinto/neumanne-151220-direto-ao-assunto

Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique no link abaixo:

Assuntos para comentário na terça-feira 15 de dezembro de 2020:

1 – Cármen cobra explicação sobre ajuda de Abin a Flávio – Este é título de chamada no alto da primeira página da edição impressa do Estadão de hoje. O que, afinal, a ordem da ministra do Supremo Tribunal  Federal vai produzir, de fato, algo de concreto no escândalo da arapongagem de fiscais da Receita Federal que investigaram extorsão do primogênito do presidente

2 – Que razões o procurador-geral da República, Augusto Aras, explicitou para chamar de “informais” as ações da Operação Lava Jato em Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro

3 –  Ex-supertele, Oi é arrematada pelas concorrentes – Este é o título de outra chamada de primeira página. Que lições traz esta notícia para reforçar o combate à corrupção, que foi completamente negligenciado na gestão de um presidente que nele apoiou parte fundamental de suas promessas de campanha

4 – Mudança do Fundeb dá 12 bilhões de reais de escolas públicas às religiosas – É a manchete de primeira página do jornal de hoje. Que tipo de fé em Deus pode justificar esse desfalque na verba já escassa da educação leiga para a confessional, com previsíveis conseqüências funestas para um setor que já é tão carente de recursos públicos

5 – EUA inicia campanha em massa contra covid – Este é o título de mais uma chamada de primeira página do Estadão hoje. Quais as lições dadas pela maior potência militar do planeta ao Brasil no dia em que o Colégio Eleitoral exerceu o princípio do rodízio no poder como essencial à manutenção de uma democracia que já tem mais de 200 anos

6 – Não há vacina nem cura contra estupidez – Este é o título de seu artigo publicado hoje no Blog do Nêumanne no Portal do Estadão. O que justifica uma frase tão dura a respeito da condução de nossa política e da gestão pública

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.