Senador prefere Moro em 22
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Senador prefere Moro em 22

Oriovisto, a cuja emenda constitucional para reduzir poder tirânico do STF faltaram 11 votos para atingir maioria de três quintos, denunciou acordão entre PT, Centrão e governo Bolsonaro para manter atual statu quo

José Nêumanne

14 de setembro de 2019 | 16h05

Oriovisto no plenário do Senado conversa com presidente, Alcolumbre, que ele acusa de ter acordão de blindagem mútua com Toffoli, Maia e Bolsonaro. Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

Senador Oriovisto Guimarães (Pode-PR), cuja emenda para limitar poder do STF foi derrotada no plenário do Senado por uma aliança entre esquerda, Centrão e governo Bolsonaro, disse que Moro teria tudo para ser o melhor ministro para substituir o decano Celso de Mello em novembro de 2020. Mas preferia que ministro da Justiça se apresente como opção para eleição presidencial em 2022. Em entrevista ao Blog do Nêumanne, reproduzida no site Estação Nêumanne (www.neumanne.com), ele contou ainda detalhes do acordão entre Alcolumbre, Maia, Toffoli e Bolsonaro, que também derrubou até agora instalação da CPI do Lava Toga, mas permitiu funcionamento de uma CPI para constranger a Lava Jato. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: