Sem poder nem juízo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sem poder nem juízo

Temer, Etchegoyen, Marun e Padilha mexeram em vespeiro grosso e agora não sabem como cumprir acordo absurdo para por fim à paralisação de transportadores após queixas de outros setores atingidos por falta de bom senso

José Nêumanne

07 Junho 2018 | 12h07

Sem razão, noção, força nem autoridade, governo agora está com bomba na mão. Foto: Daniel Teixeira/Estadão

Ao fazer um acordo com transportadores que bloquearam as vias de comunicação rodoviária entre refinarias e centros de produção de víveres de primeira necessidade, atropelando as leis, os interesses do consumidor e regras elementares do bom senso, o governo Temer terminou se metendo numa encalacrada dos diabos. Uma importadora de diesel exige subsídios de 30 centavos o litro alegando concorrência desleal. E o agronegócio reclama muito do tabelamento pelo avesso com o tal do frete mínimo decretado sem levar em consideração nenhuma prerrogativa de racionalidade. A falta de autoridade de uma gestão pública comandada pelo trio desesperança – Temer, Moreira e Padilha – com QIs somados abaixo de 20, só podia dar nisso.

(Comentário no Jornal Eldorado da Rádio Eldorado – FM 107.3 – na quinta-feira 7 de junho de 2018, às 7h30m)

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

Para ouvir Me engana que eu gosto, com Reinaldo, clique aqui

 

Assuntos do comentário da quinta-feira 7 de junho de 2018:

 

1 – Haisem Acordo ameaçado é a manchete do alto da primeira página do Estadão. É o mesmo assunto do principal título da Folha: Concessão de Temer aos caminhoneiros espalha conflitos. É que uma importadora pediu ao Supremo Tribunal Federal subsídio de 30 centavos no preço do diesel e agronegócio pressiona Temer por culpa do tabelamento do frete. O que isso revela sobre a guinada do País da economia de mercado de volta ao tabelamento dos tempos malditos sob a égide de Sarney?

SONORA_JOÃO MARTINS 0706

 

2  – Carolina Será que os procuradores do Ministério Público Federal que querem impedimento do ministro do STF Gilmar Mendes por ter concedido habeas corpus ao ex-presidente da Fecomércio do Rio, que deu 50 mil reais a seu Instituto do Direito Público, têm alguma chance de sucesso?

 

3 – Haisem – Tem como o pedido de quebra do sigilo telefônico do trio desesperança Temer, Moreira e Padilha feito pela Polícia Federal  ser aprovado pelo Supremo Tribunal Federal?

 

4 – Carolina Depois dos ônibus incendiados pelo crime organizado e da invasão do Palácio da Liberdade, onde o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, costuma despachar, por servidores em protesto, o que mais ainda pode acontecer no Estado brasileiro que sempre foi tido como o maior símbolo da tolerância e da manha política?

 

5 – Haisem Em que a disparada do preço do dólar, que chegou a 3 reais e 83 centavos ontem, a maior nos últimos dois anos, pode interferir na economia e o que pode ser feito para detê-la ou encontrar alguma forma de evitar alguma mazela que atinja o bolso do contribuinte?

 

 

6 – Carolina Depois do tiroteio no morro do Leme o Globo fez um levantamento e está publicando na edição de hoje que em pelo menos 24 comunidades do Rio há tiroteios freqüentes de grupos de delinquentes em disputa por território. Afinal, a intervenção militar na segurança da cidade que já foi maravilhosa serve mesmo para quê?

 

7 – Haisem A carta dirigida à vereadora Marielle Franco e escrita pelo delegado Brenno Carnevale, da área da inteligência da polícia fluminense, revela algo de real, podre e grave sobre o atual estado de coisas, que a propaganda oficial não consegue esconder, por mais que se esforce?

 

8 – Carolina Qual é a novidade que o post da série Nêumanne entrevista tem a oferecer ao leitor de seu blog no Portal do Estadão hoje?

 

SONORA Me engana que eu gosto Reinaldo

https://www.youtube.com/watch?v=_zj6ovNQntE