São Paulo, a exceção
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

São Paulo, a exceção

Com empate técnico entre Dória e França, São Paulo é exceção nas eleições dos grandes Estados, nos quais pesquisa Ibope confirma tendência federal da possibilidade de vitória folgada de candidatos novos

José Nêumanne

18 de outubro de 2018 | 07h13

Ao contrário de outros grandes Estados, São Paulo tem disputa pau a pau entre Dória e França. Fotos: Felipe Rau e Hélvio Romer/Estadão

As pesquisas Ibope Estadão Globo sobre as eleições estaduais confirmaram nessa semana a principal característica da disputa federal com o surgimento de novos nomes atazanando a vida dos partidos tradicionais nos grandes Estados brasileiros. No segundo maior colégio eleitoral do País, Romeu Zema, do Novo, mantém uma distância confortável do tucano Antonio Anastasia, de 66% a 34%. No Rio de Janeiro, a tendência é semelhante com a folgada margem do candidato do PSL de Jair Bolsonaro, Wilson Witzel, de 60% a 40% sobre Eduardo Paes, do DEM. Em São Paulo, porém, João Doria do PSDB, tem 52% a 48% de Márcio França, exceção que está confirmando a regra. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no Portal do Estadão desde 6 horas da quinta-feira 18 de outubro de 2018.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no player

Tendências: