Represas secas, luz mais cara

Prepare seu bolso para compensar a falta de planejamento dos últimos desgovernos, incluindo o atual, que já prepara o pagador de impostos para um aumento também histórico da tarifa cobrada

José Nêumanne

16 de junho de 2021 | 17h04

Seca histórica que esvazia as represas das hidrelétricas poderá não provocar racionamento nem apagões, mas certamente exigirá aumenta do preço da energia elétrica por causa do acionamento de termelétricas. Foto: René Pereira/Estadão

Por causa da seca histórica nos maiores reservatórios de usinas hidrelétricas, o desgoverno federal estuda criar uma nova faixa, mais cara, no sistema de bandeiras tarifárias ou elevar o valor cobrado no patamar mais alto, a bandeira vermelha  O entendimento é que o setor elétrico passa por um momento nunca visto antes e que será necessário fazer frente aos custos elevados de usinas térmicas, necessárias para garantir o fornecimento de energia no País. Especialistas prevêem conta mais cara, mas descartam racionamento. Deficiências de infra-estrutura mantêm o povo brasileiro na corda bamba de faltas de água e apagões de luz. Desgovernos sem planejamento são responsáveis por esses sustos e também por aumentos de custos dos serviços públicos, que vem onerar o bolso do pagador de impostos em plena recessão da pandemia.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

Assuntos para comentário na quarta-feira 16 de junho de 2021

1 – Haisem – Estiagem deve elevar conta de luz em ao menos 20% – Esta é a manchete de primeira página da edição impressa do Estadão de 16 de junho de 2021. Pode-se falar de uma tempestade perfeita neste inverno nos nossos cada vez mais tristes trópicos

2 – Carolina – Partidos tentam alternativa de centro para 2022 – Este é o título de uma chamada no alto da primeira página do jornal desta quarta-feira – Trata-se apenas de uma boa intenção ou a negação à polarização ainda terá, a seu ver, vez na sucessão presidencial

3 – Haisem – Sob pressão de servidor, Câmara discute reforma – Este é o título de outra chamada no alto da primeira página do Estadão de hoje. Que reforma significará a redenção das contas públicas nacionais se forem mantidos privilégios da casta funcional, como de hábito

4 – Carolina – Que razões meramente jurídicas inspiraram ministros do Supremo Tribunal Federal a darem decisões díspares aos pedidos de negativa de quebras de sigilo decididas pela comissão parlamentar de inquérito do Senado sobre erros e omissões da gestão da pandemia da covid 19

5 – Haisem – O que, na sua opinião, ficou faltando esclarecer no depoimento prestado ontem na comissão parlamentar de inquérito do Senado sobre meio milhão de brasileiros mortes por covid do ex-secretário da Saúde do Estado do Amazonas, Marcellus Campello

6 – Carolina – Qual foi o aviso dado pela mudança de gabinete em Israel com a saída de Bibi Netanyahu do poder e pla derrota de Keiko Fujimori para o esquerdista Pedro Castillo no Peru à direita que se prepara para reeleger Jair Bolsonaro à Presidência no Brasil

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.