As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Renan elogia, Aras sai mal

Aras assume Procuradoria-Geral da República com discurso planejado para seduzir chefe e 81 senadores, entre eles Flávio Bolsonaro, que calou, e Renan Calheiros, que o elogiou, o que definitivamente não pega bem

José Nêumanne

26 de setembro de 2019 | 18h14

Aras toma posse na Procuradoria-Geral da República diante de Bolsonaro, Toffoli, Mourão e Moro se propondo a proteger minorias e adotar políticas públicas sociais, em vez de atacar o crime Foto: Dida Sampaio/Estadão

Depois de ter aprendido a repetir as convicções de Bolsonaro em seus encontros de candidato a procurador-geral da República, Augusto Aras respondeu à sabatina do Senado dizendo tudo o que os senadores gostariam de ouvir dele. Não pegou bem. O silêncio de Flávio Bolsonaro e os elogios de Renan Calheiros não recomendam o novo chefe do Ministério Público. Assim como dizer que assinou um manifesto contra uniões homoafetivas e pregando cura gay sem ter lido o texto, prenunciando possibilidade de redigir libelos sem antes ler minuciosamente os autos de um processo. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Tendências: