Ré e juíza de si mesma

Ré e juíza de si mesma

Ré no processo de Impeachment no Senado, Dilma quer ser juíza de si própria

José Nêumanne

30 de agosto de 2016 | 11h26

Lula e Chico ouvem Dilma

Lula e Chico ouvem Dilma

Diante de seus juízes naturais, os senadores, no tribunal em que é julgada por crimes de responsabilidade, a presidente afastada Dilma Rousseff mudou sua “narrativa” do golpe. Não, ainda não é um golpe, esclareceu. Só o será quando for condenada, se for, pelo Senado. Se for absolvida, os senadores salvarão a democracia, ameaçada pelo processo. Mas se for condenada, aí sim, será perpetrado um golpe rotundo e hediondo, pelo TCU que a acusou de violar a Constituição e a Lei de Responsabilidade Fiscal por causa das pedaladas e de decretos que flexibilizaram a meta orçamentária sem autorização do Congresso, pela Câmara que autorizou o impeachment e pelo Senado, que a julgou.

(Comentário no Estadão no Ar da Rádio Estadão – FM 92,9 – da terça-feira 30 de agosto de 2016, às 7h13m)

Para ouvir clique no link abaixo e, aberto o site da emissora, 2 vezes no play sob o anúncio em azul

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.