Racismo sem disfarces

Racismo sem disfarces

Fiel às apostilas que leu nos cursos de oficial, general Mourão, vice na chapa de Bolsonaro, insulta origens dos brasileiros, falando em privilégios de ibéricos, malandragem dos negros e indolência dos indígenas

José Nêumanne

08 de agosto de 2018 | 06h44

Língua solta do vice, general Mourão, promete muitas emoções para campanha de Bolosonaro. Foto: Wilton Júnior/Estadão

O candidato a vice na chapa do capitão reformado Jair Bolsonaro, general da reserva Hamilton Mourão, escorregou na própria língua ao se referir a conceitos de antropologia do Almanaque do Exército, execrando o que ele chamou de herança cultural dos privilégios próprios dos povos ibéricos, da malandragem dos afrodescendentes e da indolência dos indígenas, povos dos quais descendemos. O titular da chapa ainda tentou por panos quentes ao explicar que ao falar em indolência, ele se referia à capacidade dos índios de perdoar, o que seria engraçado se não fosse absurdo. Na verdade, o oficial boquirroto deu a primeira prova de como pode escorregar no quiabo ao longo da campanha. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no ar no Portal do Estadão desde 6 horas da quarta-feira 8 de agosto de 2018.

Para ouvir clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.