Quem pôs fogo no museu
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Quem pôs fogo no museu

Tragédia do Museu Nacional resulta de descaso, negligência, incompetência, insensibilidade, estupidez e falta de espírito público dos dirigentes do Estado brasileiro, que se ocupam apenas em dilapidar patrimônio público

José Nêumanne

03 Setembro 2018 | 07h05

O fogo no Museu Nacional não foi acidental, mas resultou do crime continuado de várias gerações de dirigentes políticos brasileiros. Foto: Marcello Dias/Futura Press

O incêndio que destruiu o Museu Nacional da Quinta da Boa Vista no Rio de Janeiro é uma notícia absolutamente inacreditável, mas nunca surpreendente, pois ela resulta de séculos de descaso, insensibilidade e incompetência de um Estado cujos ocupantes voltam-se apenas para a rapina dos cofres públicos usados somente para enriquecê-los de forma ilícita e perpetuar essa trágica realidade. A lamentação pública do presidente Michel Temer não chama a atenção pelo pesar, mas, ao contrário, pelo cinismo de uma elite política dirigente incapaz de enxergar a própria ignomínia, atitude com a qual é coerente o ministro da Cultura, Sérgio de Sá Leitão, ao tentar fugir da própria responsabilidade. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no ar no Portal do Estadão desde as 6 horas da segunda-feira 3 de setembro de 2018.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play