Quem não tem Abin caça com “arararraquer”
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Quem não tem Abin caça com “arararraquer”

Assim que comparsa relatou à PF que Vermelho lhe contou que pretendia vender o produto do furto ao PT, o partido, só pela intenção revelada, logo divulgou nota de defesa preventiva

José Nêumanne

31 de julho de 2019 | 13h52

Gustavo Henrique Elias Santos contou à PF que Vermelho queria vender produto do furto ao PT, que se defendeu em nota só pela intenção revelada. Foto: Eraldo Peres/AP

No dia em que um “arararraquer” (neologismo genial de minha colega e amiga Cora Rónai) contou pra PF que Walter Delgatti Neto, o Vermelho, pretendia vender os arquivos resultantes da invasão dos celulares de 976 autoridades dos três Poderes, policiais e jornalistas para o PT, este providenciou nota oficial de defesa preventiva. Para observadores atentos, ficou claro que bateu desespero nos petistas, pois não foi revelado nenhum crime, mas apenas a intenção de um criminoso de obter dinheiro com o produto de seu crime contando com receptação deles. Ficou claro que os comandados de Lula sabem muito mais sobre a escalada criminosa da divulgação dos segredos telefônicos sem autorização judicial (é claro) do que o que revelam seus dirigente em notas e entrevistas. Nos desgovernos sob seu absoluto comando, a Agência Brasileira de Inteligência (na verdade, da burrice) fazia esse trabalho sujo. Agora contam, como de hábito, com o auxílio de Manuela d’Ávila, do PCdoB sempre servil e ex-vice do poste Haddad. A moça ainda não foi acusada de crime algum, mas já contratou ex-ministro como advogado, pois tola ela não é.
Assuntos do comentário da quarta-feira 31 de julho de 2019

1 – Por que você publicou ontem no seu canal no YouTube um vídeo, cujo título é O PT por trás dos hackers

SONORA_WALTER 3107

2 – O que tanto o impressionou na argumentação do professor de Direito da USP Modesto Carvalhosa a respeito da interpretação dada pelos adversários da Lava Jato sobre um eventual “conluio” entre o juiz Sérgio Moro e os procuradores chefiados por Deltan Dallagnol

3 – O que você tem a comentar sobre a entrevista do presidente do Conselho de Controle de Atividades Financeiras ao Estadão e a entrada de novo pedido de impeachment feito por Janaína Paschoal, depois de Dilma agora é a vez de Dias Toffoli

4 – Em que fato histórico do conhecimento dele o presidente Jair Bolsonaro apóia sua opinião de que as conclusões da Comissão dos Mortos e Desaparecidos Políticos do governo federal sobre a morte do militante da Ação Popular Fernando Augusto de Santa Cruz Oliveira, pai do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Felipe Santa Cruz, são balela

5 – Que importância tem a opinião da presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Simone Tebet, a respeito da declaração de Bolsonaro sobre a morte do pai de Felipe Santa Cruz

6 – Em que termos o ex-presidente Lula se manifestou na carta de solidariedade que escreveu direto da cela em Curitiba ao presidente da OAB sobre a declaração do presidente da República a respeito da morte do pai deste na época da ditadura militar

7 – Você se surpreendeu com a resposta dada pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trupm, à repórter da GloboNews elogiando Eduardo Bolsonaro, cujo agrément foi encaminhado pelo Itamaraty ao governo americano, primeiro passo para que o filho mais novo do presidente Jair Bolsonaro possa de fato ocupar a embaixada do Brasil em Washington

8 – Será que a nova condenação a 18 anos de prisão, somando ao todo 215 anos e 11 meses, do ex-governador do Estado Sérgio Cabral pelo juiz da Operação Lava Jato no Ri, Marcelo Bretas, poderá figurar no Livro Guiness dos Recordes

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.