As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Quarta estrela para intendente, nunca!

Com 9,5 milhões de testes de covid-19 nos estoques por falta de insumos não encaminhados pelo Ministério da Saúde aos laboratórios, Brasil continua dando o maior vexame na pandemia

José Nêumanne

04 de setembro de 2020 | 21h05

Segundo gestores locais, os testes encalham tanto no ministério como em unidades de saúde, pois o governo federal enviou kits incompletos para processar amostras colhidas. Foto: Mohd Rasfan/AFP

Sete meses após o Brasil entrar em estado de emergência pública por causa da pandemia do novo coronavírus, o Ministério da Saúde distribuiu menos de um terço dos 22,9 milhões de exames do tipo RT-PCR, considerados “padrão ouro” para diagnóstico da covid-19. Até ontem foram 6,43 milhões de unidades enviadas a Estados e municípios da rede pública de saúde, o que equivale a 28% do total. No mesmo período, o governo enviou 8 milhões de testes do tipo rápido – que localizam anticorpos para a doença, mas não são indicados para diagnóstico –, obtidos por meio de doações. O principal motivo para os exames já comprados não serem usados é a falta de insumos necessários na primeira etapa, para a coleta e extração do material genético de pacientes. Assim funciona a gestão do milico intendente que foi para o Ministério da Saúde fazer tudo o que o capitão cloroquina mandar. É por isso que nenhum intendente pode chegar a general de exército.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

Assuntos para comentário da sexta-feira 4 de setembro de 2020

1 – Ministério da Saúde tem 9,5 milhões de testes estocados – Este é o título de uma chamada de primeira página na capa do Portal do Estadão. Quando, na sua opinião, será que providências realmente sérias quanto à pandemia serão adotadas pelos maiorais de outros Poderes da República para cobrar a responsabilidade do chefe do Executivo sobre a mortandade provocada pelo contágio do novo coronavírus

2 – Aras considera inviável suspender decisão do STJ que suspendeu Witzel – Revela outra notícia destacada no Portal do Estadão. A pergunta que continua sem resposta é por que o vice-governador eleito na mesma chapa e investigado no mesmo inquérito também não foi suspenso

3 – Luta abandonada – Este é o título do artigo semanal de William Waack na edição impressa do Estadão hoje. Por que você acha que não é contestado o uso da palavra reforma na troca por mudanças realmente efetivas que aliviem as despesas com funcionaolismo na recessão econômica produzida pela pandemia da covid 19

4 – Reforma facilita contratação e demissão de servidor público – é o título de outra chapada de capa do Portal do Estadão. Que opinião você tem a respeito desta constatação

5 – Maia afirma que rompeu diálogo com Guedes – Este é o título de chamada de primeira página na edição impressa do Estadão hoje. Que importância prática você atribui a esta declaração de desentendimento pessoal entre o presidente da Câmara dos Deputados e o ministro da Fazenda numa hora grave como esta que atravessamos no Brasil contemporâneo

6 – Estamos todos grávidos de ódio? – este é o título do artigo do jornalista Flávio Tavares publicado na página A2 do Estadão de hoje. Que assuntos relevantes sobre o momento atual você encontrou neste texto para recomendar sua leitura

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: