PT tenta anular lei contra corrupção

Combate à impunidade sofrerá derrota e retrocesso se deputado Carlos Zarattini atingir objetivo de aprovar em votação secreta de líderes de bancadas, sem debate nem passar por comissões sua versão da lei da improbidade

José Nêumanne

24 de setembro de 2020 | 22h15

Texto da lavra do deputado9 Carlos Zarattini (PT/SP) transforma projeto de seu colega Roberto de Lucena (Podemos-SP) da lei da improbidade em lei da impunildade. Foto: Najara Araújo/Câmara dos Deputado

O presidente do Instituto Não Aceito Corrupção, promotor Roberto Livianu, me telefonou para contar que, nas sombras, tramita substitutivo clandestino na Câmara dos Deputados, de autoria de Carlos Zarattini (PT-SP), desfigurando totalmente o original de Roberto de Lucena (Podemos-SP) da lei da improbidade. A informação que chegou ao militante contra a roubalheira é de que o texto poderá ser aprovado por acordo de lideranças e sem indispensável debate público para suprimir as improbidades da administração, permitir a rejeição da inicial após a apresentação da defesa possibilitar a absolvição dos gatunos flagrados antes do devido processo legal e, além do mais, tornar sua tramitação mais morosa pelo truque da ampliação do prazo de defesa para 60 dias. Os líderes de bancadas articulam em segredo aprovar a urgência da votação em plena pandemia. Um descalabro! Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver  vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.