PSDB salvo pelo gongo

PSDB salvo pelo gongo

Vitória apertada de Dória sobre França, do PSB, manteve PSDB no poder em São Paulo, conquistado há 24 anos, e altera direção do partido com conquista e vitória de Leite no Rio Grande do Sul

José Nêumanne

29 de outubro de 2018 | 17h53

Doria teve de apoiar Bolsonaro no segundo turno para ultrapassar por pouco adversário França. Foto: Pedro Venceslau/Estadão

João Dória Jr. salvou o PSDB de ser desalojado do poder paulista no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo do maior Estado da Federação, São Paulo, ao derrotar o atual governador, Márcio França, do PSB, por centésimos de ponto porcentual. Essa vitória apertadíssima salvou os tucanos de um vexame similar ao do adversário de sempre, o PT, esmagado na eleição presidencial por Jair Bolsonaro. Mas não evitará uma mudança de direção no partido: com Aécio desmoralizado e Alckmin derrotado, resta-lhe, além da permanência no controle politico de São Paulo, mantido desde Mário Covas, o triunfo de uma estrela nova em ascensão no importante Estado do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e a reeleição de Reinaldo Azambuja, no Mato Grosso do Sul. Estes foram comentários feitos no domingo do segundo turno das eleições gerais no programa Hora do Voto, com Maria Lydia Flandoli e Vinicius Torres Freire.

Para ver os vídeos clique nos dois links abaixo

No primeiro a conversa com Maria Lydia Flandoli

E, no segundo, com ela e Vinicius Torres Freire

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.