Propina não tem ideologia
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Propina não tem ideologia

Palocci contou que Lula e Sarkozy acertaram pagamento de propina na encomenda de helicópteros, submarinos nucleares da França para as Forças Armadas, mas Brasil comprou caças da Suécia

José Nêumanne

19 de março de 2019 | 06h58

No encontro com Sarkozy, que parece meio constrangido, Lula exibiu muita confiança e até certa euforia. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Mesmo não sendo novidade porque executivos da Odebrecht já tinham denunciado a cobrança de propina por Lula ao governo francês, depoimento de Antônio Palocci, que foi ministro da Fazenda do petista e chefe da Casa Civil de sua sucessora, Dilma Rousseff, trouxe à baila dados interessantes sobre uma compra de helicópteros, submarinos nucleares e caças para as Forças Armadas. Uma delas, a data: 7 de setembro de 2009. Outra: propina não se negocia apenas com companheiros de ideologia, pois o então presidente francês, Nicolas Sarkozy, é de direita, extremo oposto de seu parceiro brasileiro, de esquerda. Outra: apesar do tal acerto, a FAB terminou comprando caças Grippen, da Suécia. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no Portal do Estadão desde 6 horas da terça-feira 19 de março de 2019.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no player