Proibido investigar ministro do STF

Proibido investigar ministro do STF

Por 7 a 4 plenário do Supremo Tribunal Federal desautorizou delação premiada de Sérgio Cabral dando conta de uma propina de R$ 4 milhões para Toffoli, que não se deu por suspeito, uma vergonha

José Nêumanne

29 de maio de 2021 | 21h21

Na tentativa de garantir antecipadamente ida ao segundo turno, Bolsonaro inaugurou um mata-burro no Amazonas e ainda levou ao ridículo comandante do Exército e ministro da Defesa. Foto: Isac Nóbrega/PR

1 – Em #delacaopremiada de #sergiocabral, #exgovernadordorio, autorizada pelo #plenariodostf, a #policiafederal foi informada que o #ministrodiastoffoli recebeu #r$4milhoes de propina para favorecer dois prefeitos fluminenses em decisão do #tse e agora o mesmo colegiado cancelou-a alegando que o delator “agia de #mafe“. 2 – Na #inauguracao de uma #pinguela no #amazonas, #jairbolsonaro pressionou o #ministrodadefesa, #generalwalterbraganetto, e o #comandantedoexercito, #generalpaulosergionogueiradeoliveira para não punir o #generaleduardopazuello, que feriu o #estatutomilitar, criando uma crise em preparação para o #augogolpe, caso perca a #eleicaode2022. 3 – O #diretordoinstitutobutantan desmascarou as mentiras dos #exministros da #saude e das #relacoesexteriores, além do ex-secretariodecomunicacao, #fabiofaria. na #cpidacovid no #senado. #joseneumannepinto. Inté. #diretoaoassunto. E só a verdade salvará as nossas vidas.

Para ver o vídeo no YouTube clique aqui

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.