Povo na rua perturba Centrão

Povo na rua perturba Centrão

Está ficando cada vez mais evidente que má vontade do Centrão, que dificulta aprovação rápida das reformas no Congresso, não é com Bolsonaro, mas, sim, com povo que elegeu e ainda apoia o presidente

José Nêumanne

28 de maio de 2019 | 11h18

Ao lado de Onyx e Heleno, Bolsonaro despede-se de Alcolumbre e Maia, após café da manhã na Alvorada. Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Depois das manifestações nas ruas em apoio a seu governo e, sobretudo, às reformas com que se comprometeu com os cidadãos nas urnas, o presidente Jair Bolsonaro convidou para um café da manhã no Palácio da Alvorada, onde mora, os presidentes do STF, Dias Toffoli, da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre. Esse evidente aceno de paz, contudo, não bastou para conter a reação mal humorada dos líderes emergentes do DEM, partido dos chefões do Congresso e de seu chefe da Casa Civil, e, sobretudo, do Centrão, que quer purgar com o sangue do povo e de quem este elegeu para mandar em seu nome, prenunciando reagir contra as pautas populares nas votações do Congresso. Trata-se, evidentemente de retaliar com veemência e desrespeito aqueles que, pelo menos em teoria, representam.

Para ouvir clique aqui e, em seguida, no play

Assuntos para comentário da terça-feira 28 de maio de 2019

1 – Haisem – Será que o aceno que o presidente Bolsonaro fez ao Legislativo e ao Judiciário após os atos de apoio que recebeu do povo no domingo é um bom sinal para a necessária pacificação na cúpula política da República

SONORA_PORTA VOZ 2805

2 – Carolina – Qual é o verdadeiro papel do DEM de Onyx Lorenzoni, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre na tentativa do Centrão de agir além da conta para invadir território que deveria ser reservado ao Poder Executivo

SONORA_ELMAR 2805

3 – Haisem – O que justifica a decisão da Justiça de considerar inimputável o ex-militante do PSOL Adélio Bispo de Oliveira do atentado por ele cometido contra Bolsonaro em Juiz de Fora no dia 6 de setembro de 2018

4 – Carolina – Por que o senador Major Olímpio voltou atrás na decisão que tinha tomado antes de votar na permanência do Coaf no Ministério da Justiça contra a transferência para o da Economia, reclamada pelos manifestantes de domingo nas ruas do Brasil

5 – Haisem – Manchete do Estadão hoje registra: “Disputa em facção deixa 55 presos mortos em Manaus”. Por que a paz que parecia reinar nos presídios brasileiros foi interrompida por essa tragédia

6 – Carolina – O que, a seu ver, teria levado a ministra do Superior Tribunal Militar Maria Elizabeth Guimarães Teixeira Rocha a denunciar “visível manipulação de provas” no caso da execução do músico Evaldo Santos Rosa e do catador de material reciclável Luciano Macedo por uma patrulha do Exército em Guadalupe, no subúrbio do Rio de Janeiro

7 – Haisem – Será, na sua opinião, mera coincidência a constatação de que aeronaves que transportam celebridades como Ricardo Boechat e agora o cantor Rafael Diniz não terem licença para funcionar como táxi aéreo e fatos como esses se repetirem tão amiúde

8 – Carolina – Que conseqüências você acha que terá a decisão do Botafogo do Rio apelar para Justiça para anular jogo com Palmeiras por contestar a decisão do VAR

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.