Povo na rua contra Bolsonaro

Reunindo mais gente na rua do que os apoiadores golpistas de Bolsonaro, manifestantes contra governo e racismo e pela democracia saíram às ruas, apesar da pandemia, e foram incentivados por panelaços

José Nêumanne

09 de junho de 2020 | 23h27

Depois de seis domingos seguidos sozinhos nas ruas do Brasil, apoiadores de Bolsonaro tiveram, enfim, concorrência de atos na rua contra aquele que chamam de “mito”. Foto: Daniel Teixeira/Estadão

Em seis semanas bolsonaristas manifestaram-se nas ruas e, em Brasília, receberam visita e apoio de seu ícone, que chamam de “mito”. Na sétima, pintou companhia mais numerosa: enfrentando as restrições sanitárias contra contágio na pandemia, e manifestantes foram às ruas em número bem maior em pelo menos 20 capitais brasileiras manifestando seu apoio à democracia e seu repúdio ao racismo, ao fascismo e ao capitão cloroquina. Este contava como certas infiltrações de baderneiros para chamá-los de “bandidos, marginais e terroristas”. Mas no dia seguinte aos atos, falando para seu público cativo no chiqueirinho defronte ao Palácio da Alvorada, preferiu não comentar os atos. Mesmo tendo a PM paulista reprimido um grupo de black blocks que, encertada a concentração no Largo da Batata, esperou o sol sumir e a noite cair para enfrentar a tropa de choque. Os policiais militares dissolveram a baderna e deixaram o local levando alguns presos. Espero que eles fiquem presos e revelem a que interesses servia o quebra-quebra deles. Direto ao assunto. Inte. E só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.