As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

“Povo marcado, povo feliz”

Mensagem da Secom do governo federal dizendo que ninguém é obrigado a tomar vacina mostra que, sob Bolsonaro, a vida humana vale menos do que a de gado, que não circula sem atestado de imunização à aftosa

José Nêumanne

05 de setembro de 2020 | 21h19

Mesmo tendo assinado lei tornando obrigatória a vacina contra covid-19, Bolsonaro diz que ninuguém é obrigado a tomá-la. Foto: Gabriela Biló/Estadão

Após ver meu vídeo “Bolsonaro e Crivella, a vanguarda do atraso”, em que critico o governo federal, que, sob falso pretexto de garantir liberdades individuais, usou dinheiro público para contrariar preceitos de uma lei, que o próprio presidente Jair Bolsonaro assinou, o Código Penal e a Constituição, terem autorizado cidadãos a violarem tais preceitos e não tomarem vacina contra Covid-19, meu sogro, Alexandre Tabajara de Castro, me disse que a autoridade não permite o transporte de uma rês sem a apresentação em postos fiscais do Guia de Trânsito Animal (GTA), atestando que ela tenha sido vacinada contra febre aftosa. Lembrei-me do maravilhoso verso de Admirável Gado Novo, de meu parceiro Zé Ramalho: “vida de gado, povo marcado, povo feliz”, ao constatar que, para o chefe do Executivo, a vida de um animal de corte e abate vale mais do que a humana. E encerro com o link da Editora Almedina para quem queira comprar Nêumanne entrevista: https://www.almedina.com.br/produto/n… . Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Para ver vídeo no YouTube clique aqui

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: