As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Por que generais se incomodaram

Moro disse em seu depoimento no inquérito de acusações contra Bolsonaro que três generais ministros testemunharam pressões para demitir diretor da PF e eles ficaram incomodados, então ex-juiz não mentiu

José Nêumanne

05 de maio de 2020 | 19h32

Moro foi grande trunfo de Bolsonaro para mostrar ao eleitorado que o apoiou pelo combate à corrupção seria cumprido no governo, mas logo se viu que era estelionato eleitoral. Foto: Adriano Machadoi/Reuters

Segundo Moro disse em depoimento, Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Augusto Heleno Ribeiro (Gabinete de Segurança Institucional) e Walter Braga Neto (Casa Civil) estavam presentes quando o presidente ameaçou demiti-lo por resistir a uma troca no comando da PF. Ontem o procurdor-geral da República, Augusto Aras, pediu ao decano do STF, Celso de Mello, para ouvir os três, que, conforme Moro, presenciaram o encontro no dia 23 de abril. O trio tem manifestado revolta contra o ex-juiz da Lava Jato e a assessoria jurídica do Planalto aconselhou silêncio. Se a reunião está gravada e o vídeo for executado, os três generais não poderão mentir. Se isso os incomoda, a futrica vazada na sede do poder da República pegou mal. Mas já deixa claro que Moro disse a verdade. Se tivesse mentido, eles não se incomodariam.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

 

Para ouvir no Blog do Nêumanne, Política, Estadão, clique no link abaixo:

Assuntos do comentário da terça-feira 5 de maio de 2020:

1 – Haisem – PGR quer ouvir três ministros militares citados por Moro – Esta é a manchete da edição do Estadão hoje – Você já tem algo a dizer sobre as prioridades do procurador-geral da República, Augusto Aras, em que o acusado, o presidente da República, Jair Bolsonaro, não é sequer cogitado para dar seu depoimento

2 – Carolina – Como você interpreta o pedido da defesa do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro para quebrar o sigilo do depoimento que o acusador deu sábado na Polícia Federal de Curitiba

3 – Haisem – Agressão à imprensa é intolerável, diz Defesa – Que comentário você tem a fazer a respeito da nota oficial distribuída ontem pelo ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, sobre a atitude rancorosa e estúpida dos participantes da carreata da morte pró-ditadura e a favor de Bolsonaro

4 – Carolina – Qual é o tom do principal editorial do Estadão hoje, intitulado Selvagens simplesmente, a respeito da agressão do repórter fotográfico Dida Sampaio e do motorista Marcos Pereira, ambos do Estadão e que trabalhavam na cobertura do ato público antidemocrático de domingo 3 de maio

5 – Haisem – O que você argumenta no artigo semanal O contragolpe do capitão de milícias, publicado hoje no Blog do Nêumanne do Portal do

Estadão

– Carolina – Flávio Migliaccio morre aos 85 anos – é o título da primeira página da edição de hoje do Estadão sobre a morte do ator consagrado no cinema e na televisão brasileiros. Que destaque você daria ao fato

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.