Por que CPI incomoda tanto Bolsonaro?

Presidente ultrapassou todos os limites, incluindo os da lei de responsabilidade, para evitar exposição indesejável da investigação sobre a desastrada gestão de seu governo do combate à pandemia

José Nêumanne

13 de abril de 2021 | 20h34

Pacheco ficou entre a cruz e a caldeirinha para decidir como agir no caso da CPI da Covid entre o governo que pagou cara para fazê-lo presidente do Senado, e a oposição, que também o apoiou. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Sob pressão do Palácio do Planalto e na mira da oposição, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, anunciou que ler o requerimento de criação da CPI da Covid, cumprindo decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso. Nos últimos dias, o presidente Jair Bolsonaro intensificou as articulações para sair do foco e ampliar o escopo das investigações. O movimento fez senadores governistas deflagrarem uma operação de guerra para atropelar a CPI proposta originalmente, que tem como alvo as falhas cometidas pelo governo federal na pandemia do novo coronavírus. A democracia de verdade é ferida nessa guerra em que o conceito fundamental do direito da minoria agoniza no campo de batalha e está sendo salva por intervenção superior, contestada pelo presidente incomodado com o que vem por aí.

Para ouvir comentário clique aqui

Assuntos para o comentário da terça 13 de abri8l de 2021:

1 – Haisem – Pacheco decide alvos da CPI, sob pressão do governo e da oposição – Esta é a manchete da primeira página da edição impressa do Estadão desta terça feira. Qual será, a seu ver, o fim desse charivari no Senado

2 – Carolina – Presidente não tem direito de ser cafajeste – Este é o título de seu artigo publicado no Blog do Nêumanne no Portal do Estadão desde ontem. De que o texto dele trata especificamente

3 – Haisem – Bolsonaro terá folga no texto para gastar mais em 2022 – Este é o título de chamada no alto da primeira página do jornal. De que poderá servir ao presidente da República a possibilidade de lançar mão de mais recursos no ano das eleições gerais

4 – Carolina – Coquetel contra covid é eficaz – Este é o título de mais uma chamada no alto da primeira página do Estadão de hoje. Até que ponto, em sua opinião, uma notícia boa de terapia poderá compensar a imunização lerda e errática contra o contágio do novo coronavírus no Brasil

5 – Haisem – Em que o novo depoimento à polícia da babá do menino Henry, Tainá Ferreira, poderá esclarecer ainda mais a tortura e o assassinato de que são acusados o padrasto, o vereador Jairo Júnior, e a mãe da vítima, Monique Medeiros

6 – Carolina – Que conseqüências práticas pode ter, a seu ver, a suspensão de alguns trechos dos decretos que facilitam a posse legal de armas do presidente Jair Bolsonaro pela ministra do Supremo Tribunal Federal Rosa Weber

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.