Por que Castro governa o Rio?

Hipótese de Witzel, derrotado por 14 a 1 no STJ, voltar ao governo do Rio é pra lá de remota, mas até agora ninguém explicou por que o vice, também investigado, Castro, assumiu seu lugar

José Nêumanne

03 de setembro de 2020 | 21h05

Castro, eleito com Witzel, assumiu governo do Rio, apesar de ter sofrido mandado de busca e apreensão em sua casa, e com Flávio Bolsonaro à sombra. Foto: Carlos Magno/Governo do Estado do Rio

Por 14 a 1, a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu nesta quarta-feira (2) manter o afastamento de Wilson Witzel (PSC) do governo do Rio. Desde que foi criado, em 1988, o STJ já mandou governadores para a cadeia durante o exercício do mandato – como José Roberto Arruda e Luiz Fernando Pezão -, mas esta foi a primeira vez que um chefe do Executivo local foi afastado do cargo sem ser preso. Witzel é um dos principais adversários políticos do presidente Jair Bolsonaro. Nem o mais otimista dos advogados de Witzel acreditam na volta dele ao Palácio Guanabara, mas até agora ninguém pareceu se incomodar em explicar por que Cláudio Castro, também investigado no processo, ali ocupa seu lugar.

Para ouvir comentário clique no link abaixo e, em seguida, no play

 

 

Assuntos para comentário da quinta-feira 3 de setembro de 2020

1 – STJ confirma afastamento por Witzel de seis meses – Este é o título de uma chamada de primeira página da edição impressa do Estadão de hoje. Este resultado final de um capítulo da crise de credibilidade de autoridade no Estado do Rio o surpreendeu ou apenas confirmou suas expectativas

2 – Câmara dos Deputados se prepara para afrouxar Lei das Improbidades – informa título de chamada de capa do Portal do Estadão que neste momento está na edição digital do jornal. Em que esta notícia confirma seus temores a respeito da lenda do combate à corrupção no Brasil

3 – Força-tarefa da Lava Jato em São Paulo pede demissão – é o título de outra chamada de primeira página do jornal. O que levou os procuradores a tomarem esta atitude definitiva e radical, a seu ver

4 – Reforma cria dois grupos de servidores com estabilidade – revela título de chamada de primeira página. Até que ponto o que o governo chamada de reforma administrativa é de fato o que a denominação traduz, em sua opinião

5 – Corticoide reduz morte por covid em casos graves – é outra informação publicada na primeira página do Estadão. Em que esta notícia traz novas esperanças da possibilidade de ter fim a pandemia provocada pelo novo coronavírus

6 – Só Moro derrotará o bolsolulismo em 2022. Esta opinião faz parte de sua participação no programa Papo com O Antagonista, apresentado pelo colega Felipe Moura Brasil e do qual você participou ontem, à noite

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.