As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Por que Bolsonaro fritou Moro

Presidente abandonou ex-juiz da Lava Jato porque autonomia da Polícia Federal o impedia de blindar seus filhos Flávio, Carlos e Eduardo em inquéritos sobre fake news e atentados subversivos à democracia

José Nêumanne

24 de abril de 2020 | 22h44

Bolsonaro nunca suportou o fato de depender de seu subordinado Moro a ponto de o general Heleno lhe ter dito que seu governo acabaria se o demitisse. Foto: Dida Sampaio/Estadão

O presidente da República, Jair Bolsonaro, tem três motivos para fritar Moro: Flávio, Carlos e Eduardo Bolsonaro. E há ainda um quarto, talvez o mais forte de todos: não quer imitar Dilma, que desprezou Eduardo Cunha e dançou, mas Temer que apostou contra Rodrigo Janot contando com a cumplicidade necessária de dois quintos dos votos na Câmara na base do eu sou você amanhã. Daí, seus flertes com Roberto Jefferson, em live, Arthur Lira, em selfie, Marcos Pereira, Valdemar Costa Neto, PP de Paulo Maluf com Ciro Nogueira e Gilberto Kassab, do PSD. Generais não seguraram Mandetta. Por que o fariam com Moro? Aliás, a frigideira é grande. O chefe da Casa Civil, General Braga Neto, deu o drible da vaca em Paulo Guedes. E Tereza Cristina está vendo sua reputação ser assassinada pelo” gabinete do ódio”.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play:

Assuntos para comentário de sexta-feira 24 de abril de 2020:

 1 – Haisem – Tensão sobe em Brasíia: Moro ameaça sair e STF cobra Maia sobre pedido de impeachment – Qual terá sido, a seu ver, o motivo que Bolsonaro teve para criar mais uma crise em plena ascensão ao pico do contágio do novo coronavírus

 2 – Carolina – Qual sua opinião sobre a eventual saída de Moro do Ministério da Justiça e da Segurança Pública e mais um desafio de Bolsonaro à tradição de autonomia na prática da Polícia Federal ao anunciar o substituto de Maurício Valeixo em sua direção-geral

 3 – Haisem – O que Jair Bolsonaro quis dizer ao enviar texto apócrifo ao presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, referindo-se ao comício antidemocrático de que participou no domingo, 19 de abril, Dia do Exército e na frente do QG do Exército em Brasília

 4 – Carolina – Que justificativas a Ordem dos Advogados do Brasil apresentou para representar contra pedido do IBGE de dados pessoais de todos os brasileiros às companhias telefônicas com urgência, a pretexto de precisar deles para participar do combate à covid-19

 5 – Haisem – São Paulo precisa de mais 13 mil covas e câmaras refrigeradoras – diz título de chamada de primeira página do Estadão de hoje, contrariando o secretário-geral do governo, general Luiz Eduardo Ramos, que reclamou do excesso de notícias de aumento de mortes no País

 6 – Carolina – Como você encara a explicação pública do presidente do Conselho Federal de Medicina para a autorização do uso de cloroquina em casos leves de covid-19

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.