Pela falência da Odebrecht
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Pela falência da Odebrecht

CEF e BB deram a solução correta, que BNDES devia imitar: pedir que Justiça decreta falência de empresas da Odebrecht, mantendo empregados, empresas e obras, vendê-las para novos donos e evitar danos a credores e contribuintes

José Nêumanne

04 de outubro de 2019 | 17h19

Dantas, do TCU, tem a fórmula justa para punir corruptos sem prejudicar empregados de suas empresas: vendê-las para salvá-las. Foto: Sérgio Dutti/AE

A Caixa Econômica Federal pediu a falência da Odebrecht e o Banco do Brasil, a anulação de seu plano de recuperação judicial. Esses bancos públicos exercem seus direitos de credores de um grupo de empreiteiras corrupteiras inadimplentes e ainda zelam pelo patrimônio acionário dos cidadãos brasileiros que detêm seu controle acionário. Ao contrário do BNDES, cujo presidente, o yuppie da Tijuca Gustavo Montezano, anunciou publicamente o prejuízo de 9,8 bilhões de prejuízos dados pelas empresas, que exportaram o maior produto dos tais campeões nacionais dos governos petistas de Lula, Dilma e Temer (do MDB, mas aliado do PT): a corrupção. A aceitação pelo juiz João Rodrigues de Oliveira Filho do plano de recuperação, lesivo a credores e contribuintes, é escândalo similar à roubalheira transcontinental de baianos e petistas. Direto ao assunto. Inté. E só a verdade nos salvará.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: