As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Peculato no gabinete de Flávio

Fischer, do STJ, mandou casal Queiroz de volta para prisão e MP do Rio flagrou movimentação suspeita de peculato em outros 24 assessores no gabinete do primogênito de Bolsonaro na Alerj

José Nêumanne

14 de agosto de 2020 | 20h42

Boto Maia, ex-advogado de Flávio, Márcia e Raimunda, mãe do miliciano Adriano em prova no inquérito . Foto: MP-RJ/Divulgação

O ministro Felix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça revogou na quinta-feira, 13, a prisão domiciliar do ex-assessor parlamentar Fabrício Queiroz e de sua mulher, Márcia Aguiar, ex-assessores do senador Flávio Bolsonaro investigados pelo Ministério Público do Rio, Colegas deles sacaram, em dinheiro vivo, pelo menos R$ 7,2 milhões. O valor corresponde a 60% do que os servidores receberam dos cofres públicos fluminenses e é mais um indício de que havia um esquema de devolução de parte dos salários, peculato, no gabinete. As retiradas desses assessores coincidiram com períodos nos quais, segundo o MP do Rio, Flávio pagou despesas usando cédulas. O cálculo considera 24 ex-funcionários do primogênito do presidente quando deputado estadual no Rio e exclui saques bancários pelo subtenente PM Fabrício Queiroz.

Para ouvir comentário clique aqui e, em seguida, no play

 

Assuntos para comentário na sexta-feira 14 de agosto de 2020:

1 – Haisem – Juiz do STJ determina que Queiroz vá para cadeia – Este é o título de uma chamada no alto da primeira página da edição impressa do Estadão de hoje. Você acredita que esta decisão do relator do caso do peculato na Assembleia Estadual do Rio de Janeiro do Superior Tribunal de Justiça, Félix Fischer, é definitiva ou será alterada por Gilmar Mendes no Supremo Tribunal Federal

2 – Carolina – STF menciona “arapongagem” e barra atuação da Abin – é outro título da mesma edição do Estadão no alto da primeira página. Você acha que esta jurisprudência conterá os ímpetos de zero zero sete do presidente da República, Jair Bolsonaro, ou não?

3 – Haisem – Governo diz defender teto, mas busca cinco bilhões para obras – é a manchete do Estadão na primeira página hoje. O que você tem a dizer sobre essa contradição

4 – Carolina – O que terá levado o ministro interino há três meses da Saúde, general Eduardo Pazuello, a omitir o mais do que expressivo total de óbitos e casos da covid-19 no Brasil na reunião internacional sobre o combate à pandemia e em que isso melhora ou piora o desempenho do Brasil nesta “guerra”

5 – Haisem – Qual é sua opinião sobre a notícia de que a Justiça do Rio de Janeiro garante que o Ministério Público perdeu o prazo para recorrer ao Superior Tribunal de Justiça e ao Supremo Tribunal Federal no caso do peculato de que acusa o senador Flávio Bolsonaro na época dele na Alerj

6 – Carolina – Você se surpreendeu com o resultado da pesquisa do DataFolha segundo a qual o governo de Jair Bolsonaro chegou aos melhores índices desde sua posse e tem alguma explicação para isso

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: