As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Palocci entregou BNDES

Na mesma CPI em que ex-presidente Levy negou caixa preta do BNDES, petista Palocci contou que empréstimos a juros irrisórios a amigos e ícones do PT de Lula e Dilma foram concedidos em troca de propinas bilionárias para partido

José Nêumanne

03 de julho de 2019 | 07h27

Levy insistiu na CPI do BNDES que não há caixa preta nos empréstimos dados em troca de propina, conforme relato no mesmo lugar sobre propinas ao PT. Foto: Gabriela Biló/Estadão

O ex-ministro da Fazenda e também ex-chefe da Casa Civil das gestões federais do PT Antonio Palocci disse à CPI do BNDES que no governo Lula os empréstimos do banco público de R$ 7 bilhões à Odebrecht eram cedidos em troca de recursos para campanhas petistas sem garantias, via propina.  O nome disso aí é furto. Ou seja, é produto de rime e não pode ser dado em garantia, o que fez a Odebrecht com os bancos privados. Nem ficar para ser ressarcido depois,  no fim  da fila, como o bancos públicos, ou seja, nós outros. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no Portal Estadão desde 6 horas da quarta-feira 3 de julho de 2019.

Tudo o que sabemos sobre:

Estadão NotíciasGustavo Lopes AlvesBNDES

Tendências: