Os maus caminhos de Temer
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Os maus caminhos de Temer

Ao apelar para óbvio de que não tem culpa pela crise, criada nos desgovernos Lula e Dilma, Temer não se envergonha de omitir fato relevante de que chegou à Presidência pelas mãos dos dois antecessores

José Nêumanne

20 Junho 2018 | 10h09

A História não perdoa: Temer ascendeu à Presidência à sombra de seus antecessores petistas, Lula e Dilma. Foto: Dida Sampaio/Estadão

De repente, não mais que de repente, o presidente mais impopular da História do Brasil, hasteou a bandeira do óbvio: está há apenas dois anos no governo e não deve ser responsabilizado pela terrível crise moral, política, econômica, financeira e social que se abate sobre o Brasil. Está tudo muito bom, está tudo muito bem. Só há dois poréns a registrar. O primeiro é que ele foi indicado para a chapa de Dilma por Lula, principal responsável pela roubalheira de antes e pelo desemprego de hoje. E ainda assegurou a vitória da dupla numa eleição pra lá de suspeita. É, portanto, a continuação dos desgovernos do PT, que ele tentou consertar, mas se perdeu em maus caminhos que continuou a trilhar. Este é meu comentário no Estadão Notícias, no ar no Portal do Estadão desde 6 horas de quarta-feira 20 de junho de 2018.

Para ouvir clique aqui